Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
31/03/21 às 10h37 - Atualizado em 5/04/21 às 17h35

Governo do DF abre mais de 9 mil vagas para 40 cursos gratuitos de qualificação profissional

COMPARTILHAR

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Distrito Federal (Secti) está abrindo 9 mil vagas para 40 cursos gratuitos de qualificação profissional em diferentes áreas, em uma parceria com o GDF e o Senai. Os primeiros editais já foram lançados e podem ser acessados pelo site do Sistema Fibra.

Há opções de turmas pela manhã, tarde e noite, nas modalidades semipresencial e presencial. Os cursos são de curta duração, com cargas de 20 a 400 horas-aula. As inscrições vão até 6 de junho.

Os cursos de qualificação tem o objetivo de inserir o aluno no mercado de trabalho ou de permitir uma recolocação profissional. Já os de aperfeiçoamento são para ampliação, complementação ou atualização de competências de determinado perfil profissional.

“Em ambos os casos, os concluintes recebem certificados”, dizem os responsáveis pelos cursos.

As capacitações oferecidas são nas seguintes áreas:

  • Alimentos
  • Automação industrial
  • Automotiva
  • Construção civil
  • Placas fotovoltaicas
  • Domótica (gestão de recursos habitacionais)
  • Eletroeletrônica
  • Energia GTD (geração, transmissão e distribuição de energia)
  • Energias renováveis
  • Gestão
  • Gráfica e mídias impressas e digitais
  • Madeira e mobiliário
  • Metalmecânica
  • Segurança do trabalho
  • Telecomunicações
  • Tecnologia da informação
  • Vestuário

 

Já foram entregues 521 certificados de cursos e capacitações — Foto: Secti/Divulgação

Já foram entregues 521 certificados de cursos e capacitações — Foto: Secti/Divulgação

De acordo com o secretário da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação, Gilvan Máximo, a ideia é capacitar os moradores do DF para o mercado de trabalho. “Já entregamos 521 certificados e já foram formadas 42 turmas. Temos uma estimativa de atender 6 mil vagas até o final do ano de 2021, e uma perspectiva de formar 20 mil alunos até 2022”, diz ele.

FONTE: GLOBO